HISTÓRICO

O SINDIÓPTICA de Goiás é uma entidade que representa a classe empresarial dos segmentos de Óptica, Relojoaria, Joalheria, Cine-Foto e Bijuteria no Estado de Goiás.

Fundado em 19 de agosto de 1994 em assembleia que se realizou em Goiânia, município onde se localiza a sede da entidade, ocasião em que foi transformado de Associação do Comércio de Óptica para Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico, Jóias, Relógios e Cine-Foto no Estado de Goiás; quando foi eleito seu primeiro Presidente, Sr. Lucas de Melo Motta.

Tem por finalidades principais o estudo, defesa, coordenação, proteção e representação legal das categorias econômicas dos segmentos que ora representado.

Na busca desse ideal, o SINDIÓPTICA tem se pautado pela constante valorização das empresas que se amparam de um serviço com ética, qualidade e excelência, promovendo de forma continuada cursos de aperfeiçoamentos técnico e científico aos colaboradores das empresas associadas e, também reivindicando o combate junto aos órgãos competentes das práticas desleais que assolam o setor.

Nesse sentido, em 2013 o Presidente do SINDIÓPTICA em parceria com a Confederação Nacional do Comércio – CNC lança o livro Manual de Boas Práticas do Setor Óptico com o intuito de difundir a importância de um rigoroso padrão de qualidade, bem como as condições que devem ser cumpridas pelas ópticas em respeito aos consumidores.

Em 2015 vem concatenando ao setor organizado a adesão do Selo de Qualidade Óptica onde servirá de credenciamento ao conceito de empresa associada e que estão em dias com as obrigações legais, fiscal e habilitada para prestarem um serviço de qualidade voltado para a excelência e exatidão sempre com foco nos anseios do consumidor.

SISTEMA

O Sindicato intera o Sistema CNC, que atua em todo o pais representando as empresas do comércio de bens, serviços e turismo e promovendo educação profissional e qualidade de vida para os trabalhadores do setor terciário e para a sociedade por meio das entidades:

• Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo
• 34 Federações Estaduais e Nacionais filiadas
• 878 Sindicatos das empresas do comércio de bens, serviços e turismo
• 2 Departamentos Nacionais – SESC e SENAC
• 851 Unidades Operacionais – SESC e SENAC

O Plano Estratégico do Sindicado foi construído com base no Plano Estratégico do Sistema CNC, mantendo alinhamento com as diretrizes fundamentadas no Vl e Vll Congressos do Sicomercio, ocorridos em 2002 e 2004, e consolidadas no evento “2020: Um futuro de excelência”, que formatou o Mapa Estratégico do Sistema, com a presença das principais lideranças sindicais do setor no Rio de Janeiro, em novembro de 2006.

MISSÃO

O Sindicato tem como principal propósito, legalmente estabelecido, defender interesses nas diferentes instâncias e poderes, de modo a contribuir para a proteção e a longevidade das empresas representadas, e como papel complementar oferecer produtos e serviços que permitam melhorar sua sustentabilidade.

VISÃO

“Liderar a comunidade empresarial representada, com reconhecida influência no desenvolvimento do estado de Goiás”.

Ser líder é estar presente no cotidiano do empresário representado, defendendo seus interesses e os da sociedade civil, superando suas expectativas. A intenção do Sindicato é ampliar cada vez mais suas ações com qualidade e abrangência, contribuindo para o desenvolvimento da região.

PRINCÍPIOS

Ação pelo propósito: Aja sempre motivado pelo propósito maior (bem-estar da sociedade como um todo) e nunca pelo medo, que paralisa ou nos leva a distorção em nosso próprio modo de ser (auto proteção e isolamento que nos impedem de honrar a vida em nós e em tudo ao nosso redor).

Busca de harmonia: Sua responsabilidade é construir para perfeita harmonia na organização e no seu entorno, zerando os conflitos e a competição predatória. Seja sempre muito criativo na busca de “soluções ganha-ganha”, no exercício de seu trabalho e em suas relações. Todos os conflitos e divergências serão resolvidos tendo por base o propósito maior da organização, o qual será sempre invocado como o principal guia na resolução de diferenças de opinião e de cursos de ação. Sempre prevalecerão a opinião e o curso de ação mais alinhada ao propósito maior.

Consciência em ação: Seja um exemplo vivo do que há de melhor no ser humano, sua consciência é seu melhor guia nos momentos decisivos. Em seu intimo, você sempre saberá o que seu “melhor eu” deve fazer. Faça tudo com consciência, praticando empatia com todos os envolvidos e todos os que poderão ser afetados por sua decisão.

Seu melhor estado: Atue sempre a partir de seu “melhor eu” e nuca de seu “menor eu”. Sua responsabilidade é de sempre atuar em seu melhor estado: físico, mental, emocional, espiritual. E Lembre-se: seu “melhor eu” atua sempre pelo bem-estar de todos; o “menor eu”, só o melhor para si.

Foco na verdade: Atue sempre apoiando na verdade, na realidade real, e nunca em ilusões e percepções distorcidas da realidade. Sua responsabilidade é sempre trazer as verdades à mesa de decisões para assegurar o melhor para a vida e para o todo.

Responsabilidade pelo todo: É sua responsabilidade estar conectado, envolvida (não alienado), participante e ativo junto ao time maior que constitui a organização. O espírito é de “responsabilidade compartilhada 100-100”, por meio do qual todos assumem 100% da responsabilidade pela resolução dos problemas.

Pró-soluções: Seja sempre pró-soluções e canalize sua energia para o construtivo, o antecipativo e o preventivo. Evite desperdiçar energia e talento criticando o que não esta bom e perdendo-se em diagnósticos “após o fato”. Saia do sintomático e vá sempre à causa das causas.

Equilíbrio de interesses: Não permita que nenhum interesse pessoal/parcial domine deliberações nem controle decisões. A estrutura de governaça delega autoridade para que haja diálogos e deliberações entre iguais. Não tome nenhuma decisão até que todos os diretamente afetados por ela tenham sido ouvidos.

Autonomia nas pontas: Não tome nenhuma decisão nem realize nenhuma função se ela puder ser realizada razoavelmente bem por outra parte mais periférica (da “ponta” da organização). Faça aquilo que só você pode fazer.

Auto-organização: Todos os participantes têm o direito de se auto-organizarem a qualquer momento e em qualquer escala em torno de atividades, de acordo com os propósitos e princípios.

logo_sindioptica-go2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *